Enfrentando Novos Paradigmas Nos Negócios.

Inteligencia Emocional
Neste post vamos falar sobre inteligência emocional, sobre o que é e porque devemos nos preocupar em desenvolver a inteligência emocional e como aplicar na vida e nos negócios.

Mas o que é Inteligência Emocional?

Esta foi a melhor explicação sobre o assunto que eu encontrei e concordei e gostei. E diz o seguinte:

O psicólogo e jornalista Daniel Goleman, nascido em 1946, é considerado o principal pesquisador contemporâneo dedicado a pesquisar o conceito de inteligência emocional, definida por ele como “a capacidade de identificar nossos próprios sentimentos e dos outros, de nos motivarmos e gerirmos os impulsos dentro de nós e em nossos relacionamentos”. Ele ficou famoso mundialmente ao defender que lidar com as emoções é fundamental para o desenvolvimento de um indivíduo, pois não há uma loteria genética que predestina vitoriosos e fracassados no jogo da vida.

Sua tese é de que a inteligência emocional promove diminuição dos níveis de ansiedade e estresse; maior empatia pelo próximo; mais equilíbrio emocional; maior clareza nos objetivos de vida e capacidade de tomada de decisão; melhor gestão do tempo; aumento de produtividade e de comprometimento com metas; e maior autoestima e autoconfiança. Além disso, defende que essa inteligência pode ser aprendida e desenvolvida, dependendo de um exercício cotidiano.

Texto retirado do site: https://www.inteligenciadevida.com.br/pt/conteudo/daniel-goleman-e-a-inteligencia-emocional/

Por que desenvolver a Inteligência Emocional?

Estamos num momento em que somos constantemente bombardeados com informações, imagens, áudios, textos. E este amontoado de conteúdos, que provém de redes sociais, e-mails, sites, aplicativos, faz com que estejamos sempre consumindo algo, o tempo todo.

Se antes do advento da internet, nós como seres humanos, estávamos sempre tentando nos encaixar em alguma tribo, agora essa necessidade de pertencer a um determinado grupo e parecer com as pessoas incríveis da rede social, é ainda maior nos dias de hoje.

Por estarmos o tempo todo conectados, não nos permitimos ouvir a nós mesmos, ouvir o que nosso corpo, nossos sentimentos estão nos dizendo. É bom as vezes, se desconectar do online se conectar em nós mesmos.

Conheça nosso Diário de Conexão Interior.

Quanto tempo por dia, você fica sem estar vendo ou consumindo algum conteúdo, ou afastado do celular. Quanto tempo?

Eu te faço essas perguntas porque para falar sobre inteligência emocional é preciso falar sobre autoconhecimento, e para isso é preciso se conectar com a sua essência.

Desliga do mundo a sua volta e se liga em seus sentimentos e pensamentos. É preciso pensar sobre quais emoções cada situação que você está vivendo hoje vem te trazendo e como você está reagindo a cada uma dessas situações.

Além do grande fluxo de informação, algumas pessoas têm grande dificuldade em acompanhar a rapidez com que as mudanças acontecem. Isso também nos traz uma sensação de fracasso, de incapacidade, de não pertencimento.

Quem nunca ouviu ou pensou: “Todos estão nesta rede social, menos eu; ou todos já estão online menos eu… não consigo me adaptar as redes sociais.”

Esses sentimentos trazem para a superfície sentimentos diversos: medo, pânico, ansiedade, indiferença, desmotivação. Este turbilhão de emoções nos deixa um pouco a deriva.

Mas calma, vamos tentar encontrar uma forma de nos “ancorar” e tentar passar por tudo isso sem perder a sanidade, e ainda ganhando algumas habilidades para superar essas dificuldades.

Organizando as ideias.

Quero dividir com vocês algumas coisas que aprendi sobre inteligência emocional. Ela nos diz que, devemos usar nossos sentidos de forma sensata e produtiva. Não há como não sentir, mas podemos analisar o que estamos passando, de que forma isso nos afeta?

Somos mais ou menos afetados por determinadas situações, ficamos mais irritados, mais ansiosos ou mais estressados… seja como for, devemos ser honestos com os nossas emoções, admitir o que sentimos e perceber quais são nossos gatilhos.

Estando em casa, temos uma carga maior de coisas para administrar. As situações da vida cotidiana se misturam com as de trabalho, e não temos mais aquela separação do “lá em casa” e “lá no trabalho.”
Para evitar que esse excesso de atividades seja nocivo para nossos relacionamentos, precisamos aprender a reconhecer e lidar com os sentimentos, nossos e das pessoas do nosso convívio. Por exemplo, nossos filhos, que não nos tinham em casa o dia inteiro.

Agora, que eles estão conosco o tempo todo, para eles é uma oportunidade de pôr todas as brincadeiras em dia. Mas para quem está em home office, é mais uma situação, mais uma tarefa que precisamos encaixar.

A situação é a mesma, mas sobre duas perspectivas diferentes, do adulto cheio de responsabilidades e da criança que anseia por atenção, há nisso um conflito de sentimentos e obrigações.

Preciso priorizar minhas entregas do trabalho, sou uma péssima mãe por isso. Ou, preciso me organizar mais para dar conta de tudo, ou ainda, não sou capaz de cuidar de tudo (casa, trabalho, filhos e relacionamentos), eu sou uma pessoa péssima em tudo.

Então, pense em quais são as situações que acabam estimulando esses sentimentos confusos e, sabendo identificar tomar algumas medidas para ajudar a amenizá-los.

A inteligência interpessoal consiste na capacidade de compreender os demais, quais são as coisas que mais os motivam, como trabalham e a melhor forma de cooperar com eles.

Daniel Goleman

Vamos virar esse jogo.

Quero citar aqui, alguns pontos que são comuns em todos os textos e conteúdo que li e vi nos últimos dias, quero reforçara-los agora, são eles:

Uma das principais ferramentas para desenvolver a inteligência emocional é a prática da escuta ativa. Isso significa ouvir e prestar atenção com verdadeiro interesse nas pessoas. Entender suas crenças, suas motivações e quais são seus valores.

  • Desligue-se do online por algum tempo durante o dia. Aproveite esse tempo e cuide de você. Leia, pratique alguma atividade, curta sua casa e sua família, aprimore-se, organize o que você estava protelando por falta de tempo. Isso ajudará a manter sua mente saudável e ajuda na criatividade, dar espaço para novas ideias.
  • Procure conversar com os outros membros da casa, explique a eles o que você está fazendo e porque precisa estar sozinho naquele momento ou porque precisa de silêncio. Não subestime as crianças, eles entendem bem mais do que você imagina.
  • Tente fazer acordos do tipo, a cada duas horas trabalhadas eles ganham meia hora de brincadeiras com você. Ou no fim do seu “expediente de trabalho” você fará algo especial com toda a família. Você pode tentar envolvê-los nas tarefas da casa, ou te ajudar de alguma forma com seu trabalho.
  • Falando um pouco sobre produtividade e busca de oportunidades: é importante não largar tudo, nem entrar em desespero, e ficar no:” E agora!?” Bom, agora respira fundo e analisa o que pode ser feito, de que forma você vai se manter a partir de agora.
  • Anote suas ideias, pesquise, procure pessoas para te ajudar e te inspirar e comece a traçar suas metas, porque mesmo que agora você esteja no aperto, isso vai passar.
  • Esteja pronto para o que está por vir, agora… daqui uma semana, daqui um mês, seja como for, não deixe seus sentimentos sabotarem você.
    Ah! mas eu só sei fazer isso… ou o que eu faço é serviço… O que eu posso dizer para vocês é o seguinte: Mude! Transforme-se.
  • Aprenda a olhar para você de uma forma positiva e descubra como se vender. Pense em como fazer online… marketplaces, grupos de WhatsApp, redes sociais… ache o jeito que funciona para você. Trabalha com serviço, ensine… tente dar cursos, ensinar o que você sabe e ganhar fazendo isso.
  • Procure conhecer novas profissões, como copywriters, designers de imagem, filiados… existem muitas profissões que ganharam força com a pandemia. Também há muitas outras opções de trabalho que surgiram durante este período. Quem sabe existe aí um talento seu que pode ser explorado e dar dinheiro e você nem está usando.
  • Produtividade não é somente fazer mil coisas num dia, produtividade é fazer bem o que você gosta com satisfação e eficiência e conseguir ganhar algum dinheiro com isso.
Conheça nosso Diário de Conexão Interior

Desenvolvendo a Inteligência Emocional.

A primeira parte é a autoanalise, trabalhar a percepção de nossas emoções, depois entender emoções e motivações das pessoas a nossa volta. Assim conseguimos tomar decisões assertivas. Que nos trazem resultados, levando em conta nossos interesses, os interesses da empresa e da equipe envolvida. Chegando ao tão famoso ganha-ganha.

Para finalizar vou deixar algumas dicas de leitura que me ajudaram muito e espero que façam o mesmo com você:

  • A sutil arte de ligar o foda-se – Mark Manson
  • 12 Regras para a Vida – Jordan Peterson
  • A coragem de ser você – Brené Brown

Se até aqui você não se convenceu que pode fazer algo diferente do que estava fazendo antes, eu te proponho ler mais algumas das nossas matérias e ir desfrutando dos materiais que colocamos aqui no site.

Conheça nosso Diário de Conexão Interior.

Sei que algum destes conteúdos pode fazer aquela chavezinha que está lá no findo da sua mente virar, e é neste momento que uma ideia se acende e tudo voltar a brilhar.

Um forte e afetuoso abraço, sucesso… paz e bem.

Compartilhe nosso Conteúdo!

Elisangela Aranda

Elisangela Aranda

Meu trabalho é apoiar mulheres empreendedoras através da educação para negócios ou educação empreendedora. Eu acredito que um mundo pode ser um lugar melhor com mais equidade. Eu quero despertar em cada mulher a sua essência, fortalecendo o seu potencial de criar e transformar através do empreendedorismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos Aprendizados

saiba o que A Confraria Networking tem para você.